Avaliação da expressão de genes como marcadores moleculares na Doença de Huntington

Resumo: A doença de Huntington (DH) é uma desordem neurodegenerativa progressiva, hereditária autossômica dominante, que causa comprometimento emocional, cognitivo e motor, com atrofia do cérebro, particularmente na região do estriado, causada pelo alongamento da repetição do trinucleotídio CAG (citosina-adenina-guanina) no gene da huntingtina, resultando em huntingtina mutante, que inevitavelmente, leva a morte. Estudos anteriores do nosso grupo de pesquisa observaram, na região do estriado em modelo animal de DH, alterações na expressão gênica, incluindo a dineína de cadeia pesada axonemal 6 (DNAHC6), a protocadherin-21 (Pcdh21), o Receptor intracelular sigma 1 não-opióide (Sigmar1), o Domínio 1 do tipo imunoglobulina e repetição rico em leucina (Lingo1) e o Receptor gama-aminobutírico A (Gabra2), encontrando-se regulados negativamente. Em outro estudo, também foi observada uma diminuição significativa na expressão gênica do DNAHC6 em pacientes com DH. Esses dados são essenciais para determinarmos que os resultados, obtidos em modelo animal, apresentam relevância clínica, apresentando suporte para avaliar a expressão gênica do DNAHC6 em pacientes em diferentes estágios da doença, assim como, analisar em humanos, expressões de outros genes alterados em modelo animal (Pcdh21, Sigmar1, Lingo1 e Gabra2), sendo estes os objetivos do presente estudo. O estudo será composto por 40 indivíduos, de ambos os sexos, na faixa etária de 18 a 70 anos, sendo 20 controles e 20 pacientes com DH, e modelo animal transgênico de DH, rato BACHD. A metodologia usada será a avaliação dos parâmetros clínicos utilizando a Escala Unificada para avaliação da Doença de Huntington (UHDRS), e a avaliação da expressão gênica pela extração de RNA a partir das amostras de sangue em EDTA dos grupos estudados. Dessa forma, pretende-se obter um melhor entendimento dos mecanismos que levam aos sintomas clínicos da DH, e colaborar para o diagnóstico molecular das primeiras alterações celulares que antecedem as manifestações clínicas da DH, possibilitando o tratamento precoce, proporcionando uma melhora na qualidade de vida do paciente e de seus familiares.

Data de início: 2016-04-01
Prazo (meses): 48

Participantes:

Papelordem decrescente Nome
Aluno Doutorado Tamara Andrea Alarcon Ferreira
Aluno Mestrado Suellen Rosseto Mendonça
Coordenador Rita Gomes Wanderley Pires
Pesquisador Cristina Martins e Silva
Vice-Coordenador Daniela Amorim Melgaço Guimarães do Bem
Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Bonfim, Vitória - ES | CEP 29047-105