Investigação do Potencial Efeito Neuroprotetor do Extrato de P1512P em Modelo Animal de Isquemia Cerebral

Nome: Tassiane Emanuelle Servare Andrade
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 15/12/2015
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Cristina Martins e Silva Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Adair Roberto Soares dos Santos Examinador Externo
Breno Valentim Nogueira Examinador Interno
Cristina Martins e Silva Orientador
Rita Gomes Wanderley Pires Coorientador

Resumo: O acidente vascular encefálico (AVE) é c maior causa de óbito no mundo, acometendo mais de 170.000 pessoas só no Brasil. É caracterizado pela diminuição ou interrupção do aporte sanguí parte do cérebro, sendo dividido em dois tipos: Isquêmico e hemorrágico, primeiro mais comum do que o segundo. O restabelecimento do fluxo sangu í de suma importância para socorrer o tecido ameaçado; terapêutica e às sequelas apresentadas pelos pacientes após a recuperaçao, faz-se urgente que novas abordagens terapêuticas, sobretudo aquelas advindas naturais, sejam exploradas. No presente estudo, avaliamos o potencial neuroprotetor do extrato padronizado de P1512P P1512P (PL) 1mg /kg ministrado oralmente em um modelo murino submetido à isquemia cerebral global. Após 30 minutos de oclusão e reperfusão, os animais receberam 2 doses extrato, em um intervalo de três horas e esse mesmo regime de tratamento foi repetido 24 horas após. Animais submetidos déficit motor quando analisados através da força de agarre das patas dianteiras. Já os camundongos tratados com com o extrato de PL recuperaram o déficit de força Adicionalmente, a análise morfométrica demonstrou uma significativa redução da área de infarto nos camundongos tratados com o extrato de PL. imunorreatividade ao marcador neuronal NeuN revelou que o tratamento com o extrato de PL diminuiu o número de neurônios apoptóticos na área do hipocampo. Além disso, a imunomarcação para astrócitos ativados (GFAP) demonstrou que o tratamento causou um aumento na presença dessas células cerebral. Análises de qPCR e imunoblot mostraram que o tratamento com o extrato de PL promoveu alterações significativas na expressão dos fatores neurotróficos BDNF e GDNF, além de diminuição significativa nos níveis d Il- Dessa forma, este estudo mostrou pela primeira vez que o neuroprotetor e antiinflamatório do extrato de PL no evento isquêmico e pode, num futuro, ampliar as parcas terapias existentes e assim trazer maior qualidade de para os pacientes ao minimizar as sequelas.

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Bonfim, Vitória - ES | CEP 29047-105