Papel da Neurotransmissão Noradrenérgica da Substância Cinzenta Periaquedutal Dorsal na Modulação de Comportamentos Defensivos Relacionados aos Transtornos de Ansiedade Generalizada e de Pânico

Nome: Johnathan Júnior Vaz Carvalho
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 19/07/2016
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Valquíria Camin de Bortoli Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Ana Paula Santana de Vasconcellos Bittencourt Examinador Interno
Cristina Martins e Silva Suplente Interno
Daniele Cristina de Aguiar Examinador Externo
Sara Cristina Hott Suplente Externo
Valquíria Camin de Bortoli Orientador

Resumo: A substância cinzenta periaquedutal dorsal (SCPD) é uma estrutura mesencefálica envolvida na mediação de comportamentos defensivos associados aos transtornos de ansiedade generalizada (TAG) e de pânico (TP). Existem evidências que indicam um envolvimento da neurotransmissão noradrenérgica da SCPD na modulação da ansiedade, no entanto, não existe evidência sobre sua participação nos ataques de pânico. Neste sentido, o objetivo do presente estudo foi investigar a participação da neurotransmissão noradrenérgica da SCPD na mediação de comportamentos defensivos relacionados ao TAG e ao TP em animais testados no labirinto em T elevado (LTE), um modelo animal que associa a resposta de esquiva inibitória ao TAG e a resposta de fuga ao TP. Para tal, ratos Wistar receberam a administração intra-SCPD de noradrenalina (10, 30 ou 60 nmoles/0,1μL) ou salina e foram testados no LTE. Adicionalmente, investigamos o efeito do pré-tratamento intra-SCPD com os antagonistas não seletivos de receptores alfa e beta-adrenérgicos, fentolamina e propranolol, respectivamente, no efeito da injeção de noradrenalina na mesma estrutura. Nossos resultados mostram que a administração intra-SCPD de noradrenalina na maior dose prejudicou a aquisição da esquiva inibitória, sugerindo um efeito do tipo ansiolítico, porém não apresentou efeito sobre a resposta de fuga no LTE. Além disso, a injeção de noradrenalina não alterou a atividade locomotora dos animais no teste do campo aberto, sugerindo que o efeito ansiolítico não foi devido a um aumento na atividade exploratória. Os resultados mostram ainda que o pré-tratamento intra-SCPD de fentolamina ou propranolol atenuou o efeito do tipo ansiolítico da noradrenalina. Assim, o presente estudo sugere um envolvimento da neurotransmissão noradrenérgica na SCPD, via receptores alfa e beta-adrenérgicos, em reações defensivas associadas com o TAG, mas não com o TP em animais submetidos ao LTE.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Bonfim, Vitória - ES | CEP 29047-105