Análise da expressão de potenciais inflamassomas envolvidos na quimiorresistência adquirida à cisplatina em modelo in vitro de carcinoma de ovário seroso de alto grau

Nome: Ana Maria Rodrigues da Silva
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 08/10/2018
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Leticia Batista Azevedo Rangel Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Breno Souza Salgado Examinador Interno
Leticia Batista Azevedo Rangel Orientador
Paulo Cilas Morais Lyra Junior Examinador Externo

Resumo: O carcinoma de ovário seroso de alto grau (COS-AG) é a causa mais frequente de mortes entre malignidades ginecológicas. Devido ao seu desenvolvimento assintomático bem como à falta de métodos de triagem sensíveis e específicos, a doença é frequentemente diagnosticada em estadios avançados e incuráveis. Embora os tumores usualmente respondam bem à quimioterapia de primeira linha baseada em compostos de platina e taxanos, a maioria dos pacientes desenvolve recidiva e quimiorresistência. A inflamação desempenha um papel na iniciação e desenvolvimento de muitos tipos de cânceres, incluindo o COS-AG. Recentemente, complexos proteicos componentes do sistema imune inato, denominados inflamassomas, tem sido associado aos mecanismos de progressão e metástase de neoplasias, entretanto, o papel na quimiorresistência é pouco explorado. Nesse estudo, investigamos o significado clínico dos inflamassomas na modulação do fenótipo quimiorresistente em modelo de linhagem resistente à cisplatina (ACRP) a partir da linhagem parental de COS-AG (A2780), por RT-PCR e western blot. Nossos resultados mostraram que, embora a expressão do transcrito NLRP3 permaneça inalterada na linhagem resistente, a expressão proteica parece ser alterada de forma dose-dependente com o tratamento de cisplatina, contudo não configura ser o evento principal na quimiorresistência. Adicionalmente, verificou-se expressão aumentada do transcrito NLRP1 na linhagem ACRP, mas não de NLRC4. Em suma, nosso estudo foi o primeiro a demonstrar a relevância do inflamassoma NLRP1 no desenvolvimento e regulação da resistência à cisplatina em células de COS-AG, tornando-o alvo atraente com grande potencial terapêutico contra a doença.

Palavras-chave: Câncer de ovário epitelial, inflamassomas, quimiorresistência, cisplatina.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Bonfim, Vitória - ES | CEP 29047-105