Avaliação dos Parâmetros Comportamentais e de Estresse Oxidativo em Animais Submetidos à Separação Maternal e ao Consumo de Etanol em Binge Durante a Adolescência.

Nome: Vanessa Ghidetti Alvarenga Telles
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 16/09/2016
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Ana Paula Santana de Vasconcellos Bittencourt Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Ana Paula Santana de Vasconcellos Bittencourt Orientador
Athelson Stefanon Bittencourt Suplente Interno
Carla Dalmaz Examinador Externo
Juliana Barbosa Coitinho Goncalves Examinador Interno
Lívia Carla de Melo Rodrigues Coorientador

Resumo: Eventos estressantes que ocorrem no início da vida podem induzir danos persistentes no encéfalo e no comportamento durante a vida adulta. Além disso, experiências estressantes estimulam o consumo abusivo do etanol, o que induz danos neuronais, e contribuem para o aumento do estresse oxidativo no Sistema Nervoso Central. Assim, o objetivo deste trabalho foi avaliar os efeitos da separação maternal (SM) e da exposição ao etanol em binge em ratos adolescentes sobre parâmetros de estresse oxidativo e comportamentais. Para isso, foram utilizadas ratas fêmeas Wistar prenhes e após o nascimento das ninhadas, os animais foram divididos em grupo controle (NS) ou grupo separação maternal (SM). A SM foi realizada de 2 a 15 dias pós-natal, 3 horas por dia. No dia pós-natal 35, os animais foram novamente divididos em 3 grupos: os animais que receberam solução salina intragástrica (grupo do veículo) ou etanol em doses de 3,0 ou 6,0 g / kg. No tratamento crônico, o etanol foi administrado uma vez por dia, durante dois dias consecutivos intercalados por dois dias sem etanol, perfazendo um total de 10 doses. A exposição ao tratamento do binge agudo aconteceu no dia 35 até o dia 37 pós-natal. No final deste procedimento, os animais foram submetidos aos testes comportamentais ou submetidos à eutanásia para a obtenção de estruturas encefálicas. A memória foi avaliada pelo teste de reconhecimento de objetos (TRO) e pelo teste do labirinto em Y, o hipocampo e córtex pré-frontal (CPF) foram recolhidos apenas nos animais submetidos ao tratamento crônico. Nestas estruturas, foram avaliadas a produção de radicais livres pela oxidação química do dicloroidrofluoresceína (DCFH), a atividade enzimática da catalase (CAT), da glutationa peroxidase (GPx) e da superóxido dismutase (SOD), a produção de espécies reativas ao ácido tiobarbitúrico (TBARS) e de tióis totais. Nos testes comportamentais do grupo agudo, observou-se efeito da SM e do etanol induzindo a diminuição da memória de longa duração (MLD) no TRO. No tratamento crônico por sua vez, observou-se interação entre a SM e o etanol induzindo a diminuição da memória de curta duração (MCD) no TRO e no labirinto em Y, foi visto efeito da SM diminuindo a MCD, mais especificamente durante a fase de aquisição da memória. Em relação aos parâmetros bioquímicos, os resultados do CPF mostraram que a SM e a interação entre os tratamentos SM e etanol induziram o aumento da atividade da GPx bem como o aumento dos níveis de TBARS foram induzidos somente pela SM. Já no hipocampo, a SM aumentou a produção de radicais livres, diminuiu a atividade enzimática da GPx, aumentou a atividade enzimática da SOD e a produção de TBARS. Além disso, os resultados mostraram interação entre os tratamentos SM e etanol, favorecendo a diminuição da atividade enzimática da CAT no hipocampo. Concluímos que há interação entre a SM e o etanol na indução de um o déficit cognitivo na MCD e MLD, sugerindo alterações funcionais no hipocampo e CPF. Além disso, a separação maternal foi capaz de promover estresse oxidativo nessas estruturas, não sofrendo grande influência do consumo crônico de etanol em binge.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Bonfim, Vitória - ES | CEP 29047-105